Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Nove categorias montam o menu degustação de São Paulo

O Prêmio Paladar não avalia restaurantes e, sim, pratos. Todo ano, indica os melhores pratos da temporada e, assim, monta o menu degustação da cidade de São Paulo. Nesta 8ª edição, dez jurados provaram, julgaram e votaram em nove categorias diferentes. Veja os vencedores e descubra quais são os melhores pratos de São Paulo:

13 novembro 2013 | 22:31 por redacaopaladar

FOTOS: Codo Meletti/Estadão

O Inspiração asturiana, do restaurante Clos de Tapas, foi o que mais impressionou. Criado pela chef Ligia Karazawa, o ovo caipira feito em baixa temperatura é uma homenagem à cultura rural das Astúrias. É servido sobre quirera de milho grosso, com biscoito de milho suflado (torto de milho), chorizo crocante e dadinhos do embutido tipicamente espanhol.

Os embutidos elaborados pelo chef Sauro Scarabotta, do restaurante Friccò, não têm conservantes nem aditivos e conquistaram o time de jurados. Na porção Frios da casa, premiada do ano, o cliente pode escolher três tipos, entre lombo, copa, mortadela, salame e porchetta, que são servidos com pão e azeite.

Izakayas são botecos japoneses (o termo quer literalmente dizer bar para tomar saquê), com comida boa, em porções, para beliscar enquanto se bebe. Neles, sushis e sashimis estão longe de serem protagonistas. São os pratos quentes – fritos, grelhados, cozidos – que ganham o centro da mesa. O Buta no kakuni, do restaurante Minato Izakaya, feito com barriga com tempero picante, foi o vencedor.

A entrada Trigo frique, do Manish, combina trigo grosso, frango desfiado e carne moída. Tudo isso temperado com especiarias e coberto por uma irresistível coalhada fresca e cremosa .

A tradicional receita peruana de peixe cozido no limão deu trabalho para o júri. Após um empate triplo entre Riconcito Peruano, Suri e Killa, venceu o Ceviche misto, com peixe fresco, camarões e mariscos do Riconcito Peruano. No prato, cada item tem seu ponto certo respeitado, com leves toques de coentro.

Como boa massa é o que não falta em São Paulo, essa categoria foi uma das mais acirradas. Levou a melhor o prato Raviolotti com carbonara e pinoli, do restaurante Girarrosto. O chef italiano Salvatore Loi faz do carbonara um recheio ao invés de molho e une queijo, ovos e pancetta envoltos por uma camada de massa. A finalização fica por conta de manteiga aromatizada com limão-siciliano, pinoli e folhas de hortelã.

Quando o assunto é peixe, os restaurantes de São Paulo ainda podem melhorar. Mas os seis concorrentes dessa categoria mostram que é possível, sim, comer bom pescado preparado tanto à moda tradicional quanto à criativa na cidade. O restaurante que menos interfere nas características do peixe, A Peixaria, levou sete dos dez votos possíveis com o prato Peixe do dia com sofrito e tubérculos. O peixe, escolhido pelo cliente no balcão de entrada, é servido com sofrito típico da culinária do País Basco, farofa de pipoca e chips de batata-roxa e mandioquinha.

Com oito concorrentes de alto nível, a disputa foi decidida com pouca margem de diferença entre os votos. O prato eleito como melhor foi a Rabada de boi na panela de pressão, do Attimo. Preparada pelo chef Jefferson Rueda, a rabada é cozida na panela de pressão até quase desmanchar. É servida coberta por folhas de agrião e recebe uma polenta especial como acompanhamento.

Categoria Sobremesa

Parte integrante das refeições para muita gente, a sobremesa fornece a finalização necessária para a satisfação plena. Nessa categoria, a receita conceitual elaborada por Alex Atala recebeu o voto de minerva e venceu. A Abóbora com sorvete de tapioca e espuma de coco, servida no restaurante D.O.M., brinca com a textura da abóbora cozida combinada com a da espuma de coco. O sorvete de tapioca vem salpicado pelo creme de vegetais carbonizados, o que potencializa seu sabor.

+ OS MELHORES DE SP: conheça todos os vencedores do 8º Prêmio Paladar

Ficou com água na boca?