Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Novo menu-degustação celebra sétimo aniversário d'A Baianeira

Chef Manuelle Ferraz pinça sete pratos que fizeram parte da história do restaurante para compor cardápio; ele fica em cartaz até o fim de setembro

13 de agosto de 2021 | 05:00 por Danielle Nagase, O Estado de S.Paulo

Já faz parte da história d’A Baianeira festejar seus aniversários com alguma ação especial. Pois para os sete anos, celebrados agora, Manuelle Ferraz decidiu montar seu primeiro menu-degustação, ou melhor, Um Punhado de Cada Coisa – nome que tem mais a cara do restaurante de cozinha popular brasileira, que tem sotaque ora baiano, ora mineiro, assim como a chef, natural de Almenara, cidade próxima da divisa entre os dois estados. Os pratos escolhidos a dedo são como pratas da casa, que fizeram ou ainda fazem sucesso no cardápio, e voltam agora em versão revisitada, adequada para um menu longo.

Menu-degustação d'A Baianeira foi batizado de Um Punhado de Cada Coisa.

Menu-degustação d'A Baianeira foi batizado de Um Punhado de Cada Coisa. Foto: Madelaine Seagran

A festa começa com uma bandeja de pequenos bocados, tirados da seção “entradas, petiscos e levezas” do cardápio corriqueiro. Tem beiju fininho e crocante, que carrega pequenas fatias de polvo assado com azeite de carvão, roti de rapadura e pesto de rúcula orgânica, minipastel de feira, de abóbora com quiabo, pão de queijo (o bendito o pão de queijo, receita da avó da chef), recheado com carne de panela e ovo caipira da gema mole, e coxinha, claro, porque toda festa tem coxinha, recheada de frango e requeijão e besuntada com ketchup de melado de cana.

Na sequência, chega à mesa o vinagrete de feijão andu fresco, com alface crespa, manga grelhada, queijo cremoso de cabra e torradinha de pão de queijo, seguido pela quenga de forno com ragu de ostra de mangue e homus de requeijão de corte. E antes de partir para o pot-pourri de pratos principais, molhe o bico com O Vale, drinque assinado pela bartender Neli Pereira, que combina gim, shrub de goiaba com pimenta-de-cheiro e tônica, e faz parte do menu.

Daí vêm o minibobó de camarão com farofa de dendê, o suculento frango de rolo – desossado e enrolado com couve manteiga orgânica, que a chef jura de pé junto não fazer no sous vide. “Me respeita!”, brinca. “Nossa cozinha é simples, popular, a diferença é o fino trato, sem nada de complicação”, explica. Roti de porco e farofinha de cebola complementam o prato. Já a carne de sol au poivre de pimenta-de-cheiro é servida com mandioca corada e agrião.

Frango de rolo com roti de porco, d'A Baianeira.

Frango de rolo com roti de porco, d'A Baianeira. Foto: Madelaine Seagran

Quem optar pelos punhados vegetarianos vai experimentar trocas como o ragu de maxixe no lugar do de ostras do mangue, a banana-da-terra no lugar do camarão no bobó, o palmito pupunha com roti de melado, além do cogumelo au poivre.

Para adoçar, a “mesa de sobremesa” oferece um tiquinho de tudo: mangada, goiabada e doce de leite com requeijão de corte, brulée de banana e lascas de chocolates da Mission, de Arcelia Gallardo, nos sabores pamonha, arroz doce, laranja e pé-de-moleque. Café coado da Martins Café acompanha.

Com seu menu comemorativo, Manu faz quase um favor aos clientes mais indecisos, que podem passear por diferentes pratos do cardápio sem passar pela difícil tarefa de escolher somente uma entrada, um prato e sobremesa. E a experiência funciona, inclusive, como um cartão de visitas para as próximas vezes: “comeria uma pratada disso tranquilamente”, comentou essa que vos escreve, algumas vezes, durante a degustação.

O Um Punhado de Cada Coisa, d’A Baianeira, fica em cartaz até o dia 30 de setembro, somente na unidade do Museu de Arte de São Paulo. Custa R$ 140.

Serviço

A Baianeira

Onde: MASP. Av. Paulista, 1.578, Bela Vista.

Funcionamento: 11h30/15h (sáb. 11h30/16h; dom. 10h/16h; fecha 2ª)

Quando: Até 30/9.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?