Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

O barato do café do Copacabana Palace & as salgadas sobremesas

01 dezembro 2009 | 16:19 por redacaopaladar

Não é necessário ser um hóspede para ter acesso à piscina do Copacabana Palace, nem amigo de Narcisa Tamborindeguy, a socialite que já deixou que muitos fotógrafos clicassem celebridades da janela de seu apartamento, colado no hotel.

Certa vez meu namorado entrou no Copacabana Palace, explicou ao garçom que era apenas um visitante e perguntou se poderia se sentar às mesas próximas à piscina e tomar um cafezinho. Ouviu um sim sorridente e desde então a visita se tornou programa adoravelmente obrigatório do casal, como a caminhada no calçadão e o espaguete com funghi e camarões do La Trattoria.

O café é ótimo e vem com três petit fours também ótimos. Dois por R$ 8. Caro, mas bem razoável se você contabilizar quantos cafés medíocres ou ruins já tomou gastando a mesma quantia ou um pouco menos (perdeu a conta, não?). Ora, e você está na piscina do Copacabana Palace, onde o preço importa tanto quanto os ponteiros do relógio. Não é e sinceramente não quer ser um lugar com bom custo benefício.

Mas desta vez, antes de tomar café, resolvi passar no restaurante Cipriani para experimentar a terrina com manga e chocolate branco do chef Francesco Carli que citamos na edição sobre manga do Paladar, doce que o colega Alex Atala considera o melhor com a fruta já provado na vida.

Ficou com água na boca?

Fui avisada que a terrina não está no cardápio fixo da casa, entra de vez em quando. “É complicado pedir para prepararem agora, é um pouco demorado. Você não quer pedir outra?”, conduziu-me o garçom. Hesitei, mimada como uma criança que queria muito colar aquela figurinha no álbum. Mas acabei resignada, com o cardápio em mãos.

Antes de passar o olho nas sobremesas, foi inevitável, eu vi os preços. Todas elas, com exceção dos sorvetes, custavam R$ 27. Confirmamos com o garçom, “é isso, sim”. São 15 sobremesas tão variadas como uma torta de maçã, um pudim à piamontesa, uma pera glaciada e uma sopa de chocolate. E por todas você paga o mesmo preço. Então não faz diferença o custo dos ingredientes que usou em cada uma, as dificuldades que enfrenta para fazer cada uma? Se você pedir qualquer uma delas, no fim das contas vai querer também uma água e tem ainda os 10% de serviço. Resumindo, para saciar a vontade de comer um doce, gastará algo como R$ 35.

Certo, devem ser boas as sobremesas, algumas quiçá memoráveis. E como lembrou o colega de redação Roberto Muniz, tem até um charme nesses preços. Gerações atrás de gerações sonham em comer no lendário hotel, um ou outro consegue, espalha sua versão da história, descreve o sabor da batata com minúcias, somam-se outras versões e assim segue a lenda.

Só que achei aquilo tão exorbitante que perdi o apetite, como aconteceu com uma senhora que foi à sorveteria Mil Frutas, no Leblon, e quando viu que cada bola custava R$ 8 agradeceu à atendente e se retirou. Eu poderia desembolsar R$ 27, passar bem e não me arrepender da audácia, mas quanto mais o garçom dava explicações mais eu tinha vontade de correr para o conforto do nosso café expresso.

Foto: Fabio Motta/AE

Ficou com água na boca?