Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

O barato está nos dai pai dongs

por Anna Carolina Rodrigues *

25 de dezembro de 2013 | 17:32 por redacaopaladar, Estadão Conteúdo

Especial para o Estado

Com tanta variedade, é difícil não se perder, então veja as especialidades de rua que valem a pena em Hong Kong. Muitas delas podem ser provadas na Temple Street (Yau Ma Tei), onde fica o mercado de rua mais tradicional. O destaque ali são os king crabs e os frutos do mar. Cardápios com fotos facilitam o pedido, mas não têm preço. Não se esqueça de perguntar o valor antes de fazer o pedido e não deixe de pechinchar, faz parte do programa.

Na Graham Street e na Stanley Street, localizadas na região central, que concentra edifícios comerciais, grandes bancos e outros arranha-céus, têm restaurantes sofisticados em vários pontos, mas as melhores dai pai dongs ficam em um beco próximo ao mercado de peixes (Wet Market) da Graham Street. As barracas fecham por volta de 20h e costumam ficar lotadas entre 12h e 14h, quando é grande o movimento de trabalhadores e engravatados em horário de almoço. Se puder, vá em outro horário.

FOTOS: Anna Carolina Rodrigues/Estadão

1) NOODLES COM WONTON

O prato feito a partir de uma receita cantonesa tem fama não apenas em Hong Kong, mas também na Malásia, Cingapura e na Tailândia. Costuma ser servido em um caldo bem quente, quase sempre temperado com carne, e vem acompanhado de legumes e bolinhos wonton. De massa bem fininha – que mais parece uma folha de papel –, os bolinhos podem ser fritos ou cozidos no vapor e são recheados de camarão ou carne de porco. Nas barraquinhas, é possível assistir ao ritual (ágil) de preparo do noodle, que é cozido por apenas 10 segundos.

Nenhum outro prato será mais caro do que este em uma barraquinha de rua. É possível gastar o equivalente a R$ 100 por um crustáceo gigante. Os tradicionais já vêm temperados com alho, mas é possível pedir uma versão mais apimentada, com graus diferentes de picância. Basta apontar no cardápio.

O bolinho recheado de carne é encontrado na versão grande e assada ou pequena e cozida no vapor (comum nos dim sums). É dos quitutes mais especiais de Hong Kong. Quando bem feita, a massa simples, que leva farinha, óleo, água, açúcar, fermento e levedura, fica levíssima.

Um dos aperitivos mais populares da cidade é quase uma almôndega de peixe. As bolinhas são cozidas em um caldo fervente temperado com curry – e é justamente no tempero que está a diferença. São vendidos em palitinhos com cinco unidades ou em potinhos com mais.

*Anna Carolina Rodrigues  é jornalista 

>> Veja a íntegra da edição do Paladar de 26/12/2013

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?