Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Onde comer e beber na Barra Funda

Dicas de restaurantes, bares, padarias e empórios na região que está cada vez mais gastronômica

23 outubro 2018 | 20:07 por Redação Paladar

O Paladar cantou a bola no fim do ano passado: a Barra Funda vai se tornar um bom destino gastronômico. 

Pois é: com bares despretensiosos e restaurantes autorais, o bairro, que vai do terminal da Barra Funda ao Minhocão, chegando até uma das margens do Rio Tietê, já merece entrar no roteiro de quem gosta de comer e beber bem. 

Confira dez endereços que valem a visita: 

 

Komah 

Já vamos começar com o ponto alto do bairro: o restaurante coreano do chef Paulo Shin, com pratos tradicionais tratados com leveza e apuro. O ambiente é moderno, o serviço é informal, as filas são longas e a comida, intrigante. O restaurante já figurou duas vezes entre os 100 melhores pratos da cidade eleitos pelo Paladar: com o kimchi bokumbap (arroz em caldo suíno com cremoso omelete por cima) e o yukhoe (steak tartare coreano). Desde o ano passado, a casa conta ainda com um sommelier e uma carta de vinhos arrojada.

ONDE: R. Cônego Vicente Miguel Marino, 378, Barra Funda, 3569-7956 

Yukhoe, steak tartare coreano do Komah. 

Yukhoe, steak tartare coreano do Komah.  Foto: Codo Meletti|Estadão

 

A Baianeira 

O restaurante nasceu como uma pequena portinha que levava o nome "Quem Quer Pão 75" e logo ficou famoso pelos pães de queijo (ainda vendidos para comer na hora ou congelados). Mas a cozinha "baianeira" - que mistura elementos da culinária baiana e da mineira - da chef Manuelle Ferraz (nascida no Vale do Jequitinhonha) foi ganhando corpo e espaço no cenário gastronômico da cidade. O restaurante foi ampliado, mudou de nome, e agora vive cheio. Serve PFs durante a semana, além de quitutes e café da manhã. É comida trivial feita com excelência.

ONDE: R. Dona Elisa, 117, Barra Funda, 2538-0844

Costelinha com creme de abóbora

Costelinha com creme de abóbora Foto: Matilda e Tari Azevedo|Estúdio Coma|Divulgação

 

Capivara Bar

Um restaurante super descolado e totalmente dedicado a peixes e frutos do mar, fresquíssimos. A oferta do cardápio varia dia a dia, conforme a sazonalidade dos pescados e dos ingredientes. A carta de vinhos, enxuta, mas interessante, é outro atrativo. Lembre-se de chegar cedo, o lugar é pequeno e lota com facilidade.

ONDE: R. Dr. Ribeiro de Almeida, 157, Barra Funda  

Peixe do dia, do Capivara Bar. 

Peixe do dia, do Capivara Bar.  Foto: Carla Peralva|Estadão

 

Bacalhau, Vinho e Cia.

Um restaurante tradicional, com pratos tamanho família, salão espaçoso e serviço gentil. As especialidades, como já denuncia o nome, são o bacalhau e os vinhos das várias regiões lusas, além dos docinhos portugueses. São 16 opções de pratos com bacalhau, sendo oito bacalhoadas e oito pratos com o peixe servido em posta. Saiba mais.

ONDE: R. Barra Funda, 1.067, Barra Funda, 3826-7634

O bacalhau ao murro, do Bacalhau, Vinho e Cia., na Barra Funda, em São Paulo

O bacalhau ao murro, do Bacalhau, Vinho e Cia., na Barra Funda, em São Paulo Foto: Hilton de Souza

 

Dali Daqui 

A inspiração do nome vem do pintor espanhol Salvador Dalí, que aparece em vários dos lambe-lambes que decoram esse bar de esquina. Caixas de cervejas, cadeiras de escritório e mesas na rua completam o ambiente. Para comer, petiscos de inspiração brasileira e espanhola, como as batatas bravas, servidas com alecrim e molho rústico picante. Para beber, além de cervejas, vinhos, drinques e os chupitos, shots de 50 ou 100 ml.

ONDE: Rua Vitorino Camilo, 1.093 (Esquina com Rua Conselheiro Brotero, 71), Barra Funda, 2387-8123

Batatas bravas do Dali Daqui.

Batatas bravas do Dali Daqui. Foto: Leo Martins

 

Scar 

O Scar aposta no estilo "dive bar", a versão americana do boteco pé-sujo, para atrair os jovens para a região. A trilha sonora é essencialmente rockeira e o ambiente é tomado por referências ao mundo do skate. Os clientes se acomodam no balcão ou nas poltronas para beber cervejas e drinques e comer porções e sanduíches, que levam diversos ingredientes feitos na própria casa, como o pão e a mussarela.

ONDE: R. Margarida, 30, Barra Funda 

Na caixa de som do Scar, punk rock. Na decoração, elementos do mundo do skate.

Na caixa de som do Scar, punk rock. Na decoração, elementos do mundo do skate. Foto: Fábio Ayrosa

 

Brioche Brasil 

Meio escondido embaixo do Minhocão, na altura da avenida Pacaembu, está o Brioche Brasil. Lá, o francês Christophe Guillard, especializado em viennoiserie (a arte dos folhados), faz pães, doces e salgados sob encomenda. Os produtos já saem gratinados e depois basta esquentar. As escolhas principais são o croissant (R$ 6), o pain au chocolat (R$ 8) e o croque monsieur (R$ 12), que estão disponíveis a pronta entrega de terça a sábado. Recentemente, o chef começou a fazer também uma versão portuguesa do croque monsieur que ele batizou “francesinha”: leva linguiça e tomates e custa R$ 25.

ONDE: R. das Perdizes, 25, Barra Funda, 98115-0834

Assadeira de folhados, como pain au chocolat e croissant

Assadeira de folhados, como pain au chocolat e croissant Foto: Amanda Perobelli|Estadão

 

Lá da Vendinha  

De marmitas a geleias, nessa formosa vendinha é possível encontrar todos os quitutes de Heloisa Bacellar - inclusive os bolos e pães de queijo, grandes especialidades da chef. A casa funciona como loja de fábrica do Lá da Venda e abastece os restaurantes da Vila Madalena e do Shopping JK - por isso, ali na Barra Funda, os produtos são vendidos a preços um pouco mais baixos. São duas opções de PF por dia, uma vegetariana e uma com carne, ambas por R$ 15. Tudo pode ser comprado para levar ou consumido no local. Há ainda, misturas para bolos feitas pela chef, panos de pratos e outros utensílios.

ONDE: R. Lopes Chaves, 402A, Barra Funda, 3868-1407

Pão de queijo Canastra, do Lá da Vendinha.

Pão de queijo Canastra, do Lá da Vendinha. Foto: Marcela Scavone

 

Memorial da América Latina

Além de espaço para exposições, shows e debates culturais, o Memorial da América Latina também costuma receber festivais gastronômicos. Ainda neste mês, no dia 27, o local vai ser palco de um festival de tacos, com entrada gratuita. Em novembro, no dia 17, é a vez do festival de camarão, também com entrada livre.

ONDE: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda 

Memorial da América Latina: o complexo cultural foi inaugurado em 1989.

Memorial da América Latina: o complexo cultural foi inaugurado em 1989. Foto: Clayton de Souza/Estadão

 

Feira de orgânicos no Parque da Água Branca 

O parque fica bem às margens do bairro, mas merece estar nesta lista por conta de sua tradicional feira de produtos orgânicos, às terças (das 7h às 12h e das 16h às 20h), sábados e domingos (das 7h às 12h). Além de vegetais, legumes e hortaliças, também há mel, pão, cereais e outros produtos de certificação orgânica. Nos mesmos dias da feira, também há um café da manhã orgânico, servidos entre as árvores do parque.

ONDE: Av. Francisco Matarazzo, 455, Água Branca

Vegetais orgânicos comprados na feira do Parque da Água Branca.

Vegetais orgânicos comprados na feira do Parque da Água Branca. Foto: Fernando Sciarra/Estadão

 

Ficou com água na boca?