Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Restaurantes brasileiros para visitar neste final de semana de feriado

Aproveite o Dia da Independência para conhecer a cozinha de diferentes partes do País sem sair de São Paulo

06 de setembro de 2019 | 15:48 por Redação Paladar

Três feriados de 2019 vão cair em um sábado - este 7 de Setembro inaugura o trio. 

Mas, em vez de ficar se lamentando, aproveite o final de semana da Independência do Brasil para desfrutar das muitas opções gastronômicas que São Paulo tem a oferecer. É possível provar pratos de diferentes regiões do País sem sair da cidade.  

Pensando nisso, o Paladar separou dicas de onde comer neste feriado. São oito restaurantes de comida brasileira, confira!

Saiba o que abre e o que fecha em São Paulo no feriado de 7 de setembro

 

● Tordesilhas

Além de grande chef, Mara Salles é uma das maiores pesquisadoras do patrimônio culinário nacional – e defensora das causas gastronômicas. No Tordesilhas, serve pratos clássicos de diferentes estados do Brasil, como bobó de camarão, moqueca capixaba, barreado, pato no tucupi, pirarucu grelhado, carne-seca com baião de dois e, aos sábados, feijoada. 

Onde: Al. Tietê, 489, Jardins

Tel.: 3107-7444  

Horário de funcionamento: terça a sexta, 18h/0h30; sábado, 12h/17h e 19h/0h30; domingo, 12h/17h; fecha segunda 

Barreado do Tordesilhas. Típico da cidade de Morretes, no Paraná, ele é feito em panela de barro vedada sobre uma chapa (nunca diretamente ao fogo) e a carne cozinha por aproximadamente 14 horas. 

Barreado do Tordesilhas. Típico da cidade de Morretes, no Paraná, ele é feito em panela de barro vedada sobre uma chapa (nunca diretamente ao fogo) e a carne cozinha por aproximadamente 14 horas.  Foto: Codo Meletti/Estadão

 

● Banzeiro

Novidade da cidade! Na última semana de agosto, Felipe Schaedler, chef e pesquisador de produtos amazônicos, inaugurou no Itaim Bibi seu restaurante que, em dezembro, completa dez anos em Manaus. A casa celebra os produtos da floresta, como os cogumelos yanomamis, as formigas saúva e a pimenta baniwa, os peixes de rios, a vitória-régia, o tucumã, o cupuaçu. Faz isso tanto em preparos tradicionais, revisados pelo chef, como em pratos autorais. O carro-chefe é a banda de tambaqui (o peixe cortado ao meio horizontalmente é assado lentamente na brasa, à moda manauara), servida com baião de dois cremoso, vinagrete, farofa de uarini e tartare de banana. 

Onde: R. Tabapuã, 830, Itaim Bibi

Tel.: 2501-4777

Horário de funcionamento: segunda a sexta, 11h30/15h30 e 19h/23h30; sábado, 12h/16h e 19h/0h; domingo, 12h30/17h

Banda de tambaqui: assado lentamente na brasa, à moda manauara, servido com baião de dois cremoso de feijão manteiguinha, vinagrete, farofa de uarini e tartare de banana.

Banda de tambaqui: assado lentamente na brasa, à moda manauara, servido com baião de dois cremoso de feijão manteiguinha, vinagrete, farofa de uarini e tartare de banana. Foto: Felipe Rau/Estadão

 

● Fitó 

Cafira Foz nasceu no Ceará e foi criada no Piauí, de onde trouxe inspirações e receitas para sua cozinha. Em um delicioso sobrado pertinho do Largo da Batata, serve pratos como a paçoca - carne de sol da casa misturada com farinha de mandioca e manteiga de garrafa, servida com baião de dois, banana-da-terra e queijo coalho - e o baião de dois vegetariano. De sobremesa, vale experimentar o bolo de chocolate com calda de cupuaçu. O restaurante está na lista dos Bib Gourmand (de casas mais informais, mas de cozinha habilidosa, onde é possível fazer uma refeição completa por menos de R$ 120) do Guia Michelin 2019. 

Onde: Rua Cardeal Arcoverde, 2.773, Pinheiros

Tel.: 3032-0963

Horário de funcionamento: segunda, 12h/15h; terça a sexta, 12h/15h e 19h/23h30; sábado, 12h30/16h30 e 20h/23h30; domingo, 12h30/17h

Paçoca, do Fitó. A carne de sol da casa, misturada com farinha de mandioca e manteiga de garrafa, é servida com baião de dois, banana-da-terra e queijo coalho. 

Paçoca, do Fitó. A carne de sol da casa, misturada com farinha de mandioca e manteiga de garrafa, é servida com baião de dois, banana-da-terra e queijo coalho.  Foto: Codo Meletti/Estadão

 

● Mocotó

Na zona norte de São Paulo, o Mocotó já virou um clássico. Grande referência da cozinha nordestina na cidade, o restaurante o chef Rodrigo Oliveira serve pratos tradicionais como baião de dois, carne de sol assada, mocofava e os famosos dadinhos da tapioca. Além de boas caipirinhas

Onde: Av. Nossa Sra. do Lorêto, 1.100, Vila Medeiros

Tel.: 2951-3056 

Horário de funcionamento: segunda a sexta, 12h/23h; sábado, 11h30/23h; domingo, 11h30/17h 

Carne de sol assada com pimenta biquinho, do Mocotó.

Carne de sol assada com pimenta biquinho, do Mocotó. Foto: Codo Meletti/Estadão

 

● Jesuíno Brilhante

Aberta em 2016, a casa do potiguar Rodrigo Levino foca na carne de sol, que é preparada no próprio local e servida em pratos-feitos bons e baratos. A simpática casinha perto da estação das Clínicas é um belo programa de final de semana. Prove a carne de sol na chapa com queijo coalho e arroz de leite bem cremoso, já eleito um dos melhores pratos brasileiros da cidade pelo Paladar

Onde: Rua Arruda Alvim, 180, Pinheiros

Tel.: 2649-3612

Horário de funcionamento: segunda a sexta, 11h30/15h; sábado, 11h30/16h; fecha domingo

Carne de sol na chapa com queijo coalho e arroz de leite, do Jesuíno Brilhante.

Carne de sol na chapa com queijo coalho e arroz de leite, do Jesuíno Brilhante. Foto: Codo Meletti/Estadão

 

● Jiquitaia

Menu executivo costuma ser servido apenas nos dias de semana. Mas, no Jiquitaia, que tem um dos menus executivos mais conhecidos da cidade, ele também é boa opção no almoço de sábado. Entrada, prato e sobremesa saem por R$ 95 (o mesmo preço do jantar de segunda a sexta; o almoço durante a semana é R$ 55). Os pratos trocam a cada dia da semana. Entre as opções do sábado, feijoada e arroz de pato com tucupi e jambu. Apostar no combo é o melhor jeito de provar a cozinha do chef Marcelo Corrêa Bastos (que também toca o Vista, no topo do MAC-USP) e de sacar a proposta da casa: trivial brasileiro feito com esmero.

Onde: R. Antônio Carlos, 268, Consolação

Tel.: 3262-2366

Horário de funcionamento: segunda, 12h/15h; terça a sexta, 12h/15h e 19h/23h30; sábado, 12h/17h e 19h/23h30; fecha domingo 

 

● A Baianeira 

O restaurante nasceu como uma pequena portinha que levava o nome "Quem Quer Pão 75" e logo ficou famoso pelos pães de queijo (ainda vendidos para comer na hora ou congelados). Mas a cozinha "baianeira" - que mistura elementos da culinária baiana e da mineira - da chef Manuelle Ferraz (nascida no Vale do Jequitinhonha) foi ganhando corpo e espaço no cenário gastronômico da cidade. O restaurante foi ampliado, mudou de nome, e agora vive cheio. Durante a semana, serve PFs com pratos que mudam a cada dia. No sábado, café da manhã reforçado e pratos como galinha caipira, moqueca de camarão e peixe frito no almoço. 

Onde: R. Dona Elisa, 117, Barra Funda

Tel.: 2538-0844

Horário de funcionamento: terça a sexta, 9h/17h; sábado, 9h/16h; fecha domingo e segunda 

 

● Casa de Ieda 

Ieda de Matos é natural da Chapada Diamantina (BA), mas não a Chapada da turística Lençóis, no radar de paulistanos, e sim da cidadezinha de Utinga. Ela cresceu numa fazenda (só foi conhecer azeite de dendê aos 14 anos, quando uma baiana instalou seu tabuleiro na cidade), alimentada pela comida de subsistência, comia-se o que a terra dava. E é essa comida que ela serve no seu pequeno restaurante em Pinheiros. Vale provar o roupa velha, prato de carne de sol desfiada coberta por purê de queijo coalho.

Onde: R. Ferreira de Araújo, 841, Pinheiros

Tel.: 4323-9158

Horário de funcionamento: terça a sexta, 12h/15h; sábado, 12h30/16h; fecha domingo e segunda 

Picadinho de carne de sol e banana-verde servido com arroz vermelho

Picadinho de carne de sol e banana-verde servido com arroz vermelho Foto: Werther Santana/Estadão

Ficou com água na boca?