Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Tirashi do Kinoshita

No Kinoshita, o tirashi é servido no almoço e no jantar e não tem uma fórmula fixa. Nem em relação à variedade de peixes e frutos do mar que compõem o prato nem na quantidade de fatias. “Tudo depende do que temos no dia”, explica o sushiman Tsuyoshi Murakami.

08 janeiro 2014 | 20:26 por patriciaferraz

Na sexta-feira passada, depois do feriado prolongado de fim de ano e com o pouco peixe disponível na cidade, o tirashi chegou ao balcão com vieiras, atum, serra, salmão, minilulas e akagai, espécie de marisco japonês. Tinha também ovas de peixe voador e de salmão, além de shissô e gengibre em conserva.

Para preparar o prato, Murakami conta com a ajuda do cunhado, Wilson Kinoshita, mais conhecido pelo apelido de Saladell. Ele pincela o arroz com molho teriyaki antes de cobrir com os peixes e não usa obrigatoriamente o tamago. As algas nori, em vez de serem picadas e despejadas sobre o arroz, chegam inteiras, num potinho à parte – o que dá ao cliente a chance de ter seu momento “sushiman”. É divertido acomodar a nori numa mão e, usando o hashi com a outra, pegar um pouco de arroz, ovas e uma fatia de peixe. Depois, é só enrolar como um minitemaki, molhar no shoyu e comer rápido, antes que a alga amoleça.

LEIA MAIS:

+ No tirashi, as aparas são bem apuradas

FOTO: Epitácio Pessoa/Estadão

SERVIÇO – Kinoshita

R. Jacques Félix, 405, V. N. Conceição

Tel. 3849-6940

Quanto custa: R$ 95

>> Veja a íntegra da edição do Paladar de 9/1/2014

Ficou com água na boca?