Paladar

Comida

Comida

Kamilla Seidler é eleita melhor chef mulher da América Latina

Chef dinamarquesa que comanda restaurante Gustu, na Bolívia, recebe a homenagem do júri regional do 50 Best

01 setembro 2016 | 19:51 por Redação Paladar

A eleita melhor chef mulher da América Latina de 2016 não é latino-americana. É dinamarquesa. Chegou ao continente em 2012 já focada em aprender sobre a região, seus ingredientes, suas pessoas , sua comida para comandar um restaurante. Kamilla Seidler comanda o Gustu, em La Paz, na Bolívia, que atualmente está na 17ª posição dos melhores da América Latina. 

O prêmio, anunciado nesta quinta (1), integra o 50 Best América Latina, ranking da revista britânica Restaurant que, desde 2013, elege os 50 melhores restaurantes da região. Este ano, a cerimônia oficial será no dia 26 de setembro, na Cidade do México. 

 

  Foto: Divulgação

O Gustu, aberto em 2013, foi concebido pelo também dinamarquês Claus Meyer, um dos fundadores, ao lado de René Redzepi, do Noma - eleito quatro vezes o melhor resturante do mundo. O restaurante foi a primeira iniciativa fora da Dinamarca da The Melting Pot, fundação criada por Claus que visa ajudar comunidades e famílias através da gastronomia. 

Ficou com água na boca?

Kamilla, que nunca havia visitado a Bolívia anteriormente, mudou-se para lá em 2012 à convite do chef. Mais do que apenas comandar o cozinha, sua missão era incentivar a cena social e gastronômica do país. Foram seis meses de pesquisa local e trabalho de reconhecimento antes de abrir o restaurante. Hoje, o Gustu é o restaurante da Bolívia mais bem posicionado no ranking 50 Best. 

A chef trabalha apenas com produtos (tanto comidas como bebidas) 100% bolivianos. Isso rendeu a ela o apelido de "dane of the Andes" (a dinamaquesa dos Andes). Ao trabalhar com produtores locais, busca garatir preço justo e acesso a educação para todos eles. Hoje, o restaurante já não faz mais parte do projeto de Claus, mas segue com sua filosofia de sustentabilidade social - conta, inclusive, com uma escola de cozinha para pessoas carentes.

No ano passado, a brasileira Roberta Sudbrack, do restaurante que leva o seu nome, no Rio, foi a ganhadora do prêmio. Em 2013, o Brasil também levou o títulom, com a chef Helena Rizzo, do Maní. 

Outro prêmio do 50 Best América Latina 2016 já anunciado foi o de conjunto da obra, que homenageou o chef franco-brasileiro Claude Troisgros, do Olympe.

Ficou com água na boca?