Paladar

Comida

Comida

Chefs e personalidades lamentam a morte de Anthony Bourdain

Confira a repercussão da morte do chef, apresentador e crítico gastronômico americano

08 junho 2018 | 12:21 por Redação Paladar

O mundo perdeu Anthony Bourdain. Nesta sexta-feira, 8, a CNN confirmou a morte do chef, crítico gastronômico e apresentador americano, que tinha 61 anos. Segundo a emissora, a causa da morte foi suicídio. 

Ele foi encontrado morto, por enforcamento, pelo chef francês Eric Ripert, seu amigo de longa data, no quarto de hotel em que estava hospedado, em Kaysersberg, no nordeste da França. Bourdain estava na região para gravar um episódio de sua famosa série Parts Unknown, vencedora de cinco Emmys. 

Confira abaixo as homenagens de chefs e personalidades à perda de Bourdain. 

Barack Obama, ex-presidente americano

“Banquinho baixo de plástico, macarrão barato, mas delicioso, cerveja gelada de Hanói.” É assim que vou me lembrar de Tony. Ele nos ensinou sobre comida - mas, mais importante, sobre sua capacidade de nos unir. Para nos deixar com um pouco menos medo do desconhecido. Nós sentiremos falta dele."

 

Jamie Oliver, chef e apresentador britânico 

"Tenho que dizer que estou em absoluto choque ao ouvir que o incrível Bourdain acaba de morrer. Ele realmente quebrou oo modelos, impulsionou conversa culinária. Descanse em paz, chef. Pensamentos e amor para toda a sua família e amigos próximos."

 

Rodrigo Oliveira, chef do Mocotó, Esquina Mocotó e Balaio (SP)

 

Christiane Amanpour, jornalista britânica

"Meu coração se partiu por Tony Bourdain. Que ele descanse em paz agora. Ele era amigo, colaborador e família. Uma grande personalidade, um gigantesco talento, uma voz única e profundamente humana. Meu coração está com sua filha e família, e seus parceiros e amigos de longa data na ZPZ."

 

 

Gordon Ramsay, chef e apresentador britânico 

"Atordoado e triste pela perda de Anthony Bourdain. Ele trouxe o mundo para dentro de nossas casas e inspirou muitas pessoas a explorar culturas e cidades através da comida. Lembre-se que a ajuda está a um telefonema de distância EUA: 1-800-273-TALK UK: 116 123." 

 

Asia Argento, atriz italiana, namorada de Bourdain 

"Anthony dava tudo de si em tudo que fazia. Seu espírito brilhante e destemido e sua generosidade não tinham limites. Ele era o meu amor, minha rocha, meu protetor. Estou extremamente devastada. Meus pensamentos estão com sua família. Eu peço que vocês respeitem a privacidade deles e a minha."

Yotam Ottolenghi, chef e autor britânico-israelense

"Explicando Jerusalém AnthonyBourdain em 2013. É um choque tão grande ouvir sobre sua morte. Um grande explorador e brilhante contador de histórias. Uma enorme perda de uma pessoa que moldou e mudou a forma como escrevemos sobre comida. Muito triste."

 

Nigella Lawson, apresentadora e autora britânica

"De coração partido ao ouvir sobre a morte de Tony Bourdain. Insuportável para sua família e namorada. Estou saindo do Twitter por um tempo." 

 

Gabriela Monteleone, sommelière (SP)

 
 
 

Rest in Power ... um dia te servirei um trago de novo ....

Uma publicação compartilhada por _____Gabriela Monteleone_____ (@gabrielamonteleone) em

 

Ivan Achcar, chef paulista

 

Alex Atala, chef do D.O.M, do Dalva e Dito e Bio (SP)

 

Rest in Power

Uma publicação compartilhada por Alex Atala (@alexatala) em

 

Henrique Fogaça, chef e apresentador paulista

 

Thiago Castanho, chef do Remanso do Peixe (Belém)

 

#rip @anthonybourdain

Uma publicação compartilhada por Thiago Castanho (@thiagocastanho) em

 

Jun Sakamoto, sushiman paulista

 

Vai um inspirador de sabores, aromas, momentos. Vai em paz!!

Uma publicação compartilhada por Jun Sakamoto (@ljunsakamoto) em

 

Leo Paixão, chef do Glouton e do Nicolau (BH)

 

Rafael Costa e Silva, chef do Lasai (Rio)

 

Andrew Zimmern, chef e apresentador americano

"Estou tão bravo esta manhã. A vida é foda e louca e Tony eu te amo. Estou usando suas botas que nunca usei porque eram suas e indo para o trabalho. Todos devem abraçar algumas pessoas extras hoje. Meu coração está pesado."

Dan Barry, jornalista do NYT 

"Alguns de nós, da velha guarda do New York Times, nos lembramos de sermos editados por Gladys Bourdain, que falava com tanto orgulho de seu filho. Anthony Bourdain levou-nos a cantos deste mundo com curiosidade, irreverência - e grande compaixão. Um homem notável."

Questlove, músico americano  

"Acabei de receber a notícia do falecimento de Anthony Bourdain. Tenho muitas lembranças dele - memórias, emoções, e perguntas não respondidas - que neste momento estão misturadas. Sou muito agradecido a ele por me apresentar um mundo que eu não conhecia, o mundo da gastronomia e principalmente a gastronomia ao redor do mundo. Foi através do Anthony que eu aprendi quem era o sushi master Jiro Ono, e essa recomendação (de ver o documentário sobre Jiro e, posteriormente, de fazer uma peregrinação à qualquer custo até Toquio) mudou completamente o caminho da minha vida profissional e criativa. 

O Anthony também acreditava, e sempre dizia, que todas as formas de criatividade estavam conectadas: como chefs e bateristas e comediantes e atores e diretores e pintores bebiam da mesma fonte de pensamentos e emoções. Esse sentimento eu guardei comigo. Acompanhar suas viagens para terras longínquas para provar "um pedacinho do céu" (e também para mostrar como a vida na terra pode ser um inferno para pessoas controladas por governos cruéis ou pela pobreza opressiva) era equivalente às minhas visitas a lojas de discos obscuras em outros continentes. 

Por fim, vou sentir falta das nossas eternas discussões sobre o mérito (ou falta de) do Yacht Rock. O Anthony participava regularmente do programa do Fallon (onde Questlove toca), e toda vez ele me avisava que sua música de entrava "deveria ter um pouco de umph". Ele queria poder e atitude. Eu concordava com ele, mas depois tocava uma música do Billy Joel. Ele ficava enfurecido. Há uns anos atrás, para agradecê-lo por ter escrito o prefácio do meu livro, planejei uma grande trollagem, mas nunca cheguei a entregar para ele. Tivemos uma "discussão" sobre a música Route 101 de Herb Alpert: eu disse que a boa vibe da música era indiscutível, e ele disse que discutia isso. E quanto mais esquentada a discussão ficava, mais a gente ria. Eu falei para ele que iria fazer a mãe das playlists de smooth-pop para ele conseguir ver a luz. Estou acabando essa playlist, e quando eu acabar, vou batizá-la com o nome dele, consigo até imaginar a risada."

 

Just saw the news this morning about Anthony Bourdain’s passing. I have so many thoughts about him—memories, emotions, and unanswered questions—that right now it’s sort of a jumble. I feel so thankful for him to introducing me to a world I never knew, the world of food and especially food around the world. It was through Anthony that I learned about who the sushi master Jiro Ono was and that recommendation (seeing the Jiro doc & making a pilgrimage to Tokyo by any means necessary) singlehandedly changed the course of my professional and creative life. Anthony also believed, and talked often, about how all forms of creativity were connected: how chefs and drummers and comedians and actors and directors and painters all drew on the same well of thoughts and emotions. That feeling stuck with me. Watching him take trips to faraway lands to get a taste of heaven (and, just as often, to show how life on earth can be hell for people under the thumb of cruel governments or oppressive poverty) was the equivalent of my many trips to obscure record shops continents away. Lastly I’ll miss our endless banter about the merits (or lack therof) of Yacht Rock. Anthony came on Fallon often, and every time, he liked to warn me that his walk-on music better have “some umph to it.” He wanted power and attitude. I’d agree with him, and then I’d play another Billy Joel song, which infuriated him. A few years back, to thank him for writing the foreword to my book, I started the ultimate troll project, though I never got to give it to him. We had an “argument” over Herb Alpert’s “Route 101”: I made the case that the song’s good-feeling/good-time vibe couldn’t be denied, and he made the case that he denied it, and the more heated the argument got the more we laughed. I told him imma make him the mother of smooth-pop playlists and then he would see the light. I’m finishing that playlist, and when I do, I’ll name it after him, just so I can imagine that laugh of his.

Uma publicação compartilhada por Quest Loves Food (@questlovesfood) em

 

Ficou com água na boca?