Paladar

Restaurantes e Bares

Restaurantes e Bares

Janaína Rueda é eleita ícone da América Latina pelo 50 Best

Essa é uma das categorias especiais do ranking que elege os melhores restaurantes latino-americanos, cujo anúncio está programado para 3 de dezembro

20 de outubro de 2020 | 17:48 por Danielle Nagase, O Estado de S.Paulo

Janaína Rueda, chef e sócia do Bar da Dona Onça e d'A Casa do Porco – único restaurante a figurar na lista dos melhores do mundo pelo 50 Best (na 39ª posição) –, acaba de ser escolhida como a personalidade ícone da América Latina em 2020 pelo ranking que elege os 50 melhores restaurantes latino-americanos. O anúncio faz parte das categorias especiais da premiação, que funcionam como contagem regressiva para a grande noite, marcada para ocorrer no dia 3 de dezembro, em cerimônia virtual por conta da pandemia do novo coronavírus.

A categoria foi criada em 2013 para celebrar agentes da gastronomia que contribuem de forma notável para o setor, usando sua visibilidade para aumentar a conscientização sobre pautas importantes e promover mudanças positivas no meio. Em 2019, essa cadeira foi ocupada pelo chef peruano Pedro Miguel Schiaffino, dos restaurantes Malabar e Ámaz, que faz pesquisa com ingredientes amazônicos.

Janaína Rueda é eleita ícone da América Latina pelo 50 Best 

Janaína Rueda é eleita ícone da América Latina pelo 50 Best  Foto: Roberto Seba/Estadão

Segundo o 50 Best, o prêmio reflete a participação de Janaína no projeto de melhoria na qualidade da merenda escolar em São Paulo, seus esforços contínuos para promover inclusão por meio da gastronomia, além do seu envolvimento na campanha por socorro à indústria da hospitalidade durante a pandemia.

"Estou muito emocionada com esse reconhecimento. Que essa premiação possa dar voz para as mulheres, para todas as classes sociais, que rompa barreiras e dê mais visibilidade e reconhecimento mundial para a gastronomia brasileira. Minha esperança é que este espaço ajude a aumentar a conscientização sobre assuntos mais importantes, como o debate sobre diversidade e a busca por uma gastronomia cada vez mais inclusiva e democrática”, afirma a chef.

Até dia 3 de dezembro, ainda serão anunciados os prêmios de melhor chef mulher, de restaurante mais promissor (One to Watch) e o chef homenageado por seus pares (Chef's Choice).  

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Ficou com água na boca?

Tendências