Paladar

Guia para beber bem: dicas de qual coquetel pedir nos melhores bares de São Paulo

Balcão do Giba

Drinques para fazer em casa

Guia para beber bem: dicas de qual coquetel pedir nos melhores bares de São Paulo

Confira a melhor pedida em cada bar da cidade

20 de dezembro de 2019 | 20h02 por Gilberto Amendola

Vamos ao post que eu mais gosto de escrever!

Antes de descansar o fígado, vamos à lista de “dicas do que pedir nos bares de SP”.

O que pedir se você for no…

Guilhotina – CARRASCO

A carta vai virar no final de Janeiro, mas acho que ainda será possível pedir por lá o Carrasco (rum Bacardi 8, Rum Barcardi Oro com especiarias, xarope de especiárias, bitter Angustura e limão).

Outro coquetel que faz minha cabeça é o In Vino Veritas  (rum Bacardi Oro com especiarias, mezcal, Vinho Sauvignon Blanc, licor de Cacau com abacaxi e bitters).

Onde: R. Costa Carvalho, 84, Pinheiros 

 

Frank Bar – GIN COCKTAIL

É o que abre a nova carta da casa, idealizada pelo bartender Spencer Amereno. Perfeito, sério e obrigatório (Beefeater 24, Pierre Ferrand Dry Curação, citrus vermute syrup e bitters).

Onde: Hotel Maksoud Plaza. R. São Carlos do Pinhal, 424, Bela Vista

 

Tan Tan Noodle Bar – YOICHI SOUL

O bar tem excelentes criações de Douglas Peres. Difícil escolher uma. Fosse você tentava o Yoichi Soul (pisco, vermute tinto, amaro Lucano, katsuobushi, Chambord e Angustura). Gosto muito do jeito que o pisco aparece nesse coquetel. Antes de ir embora tente também o Killing me Softly (vodca, vermute seco, queijo grana padano, apricot e bitter de umami).

Onde: R. Fradique Coutinho, 153, Pinheiros

 

SubAstor – AÇAÍ

Infelizmente, ainda não experimentei os cinco novos coquetéis adicionados à carta. Mas se for ao Sub pergunte pelo Açaí (peça pela versão não gaseificada). Um dos grandes coquetéis da cidade, com Boubon Bulleit, tequila Blanco, açaí, abacaxi, acerola e fava tonka.

Onde: R. Delfina, 163, Vila Madalena

 

Guarita – GUARITA, SAL E PEPINO

Para os dias quentes eis a melhor pedida da cidade. Muito sabor. A carta do bar vai virar no fim de janeiro, mas imagino que o Guarita, Sal e Pepino não vai desaparecer. 

Onde: R. Simão Álvares, 952, Pinheiros

 

Sylvester – DRY FIGO

O Sylvester é outro bar com uma das melhores cartas de SP – concebida pelo Rogério Frajola. É difícil escolher um. Mas se fosse obrigado eu iria de Dry Figo – que leva gim, vermute seco infusionado com figo e bitter peychaud.

Onde: R. Maria Carolina, 745, Jardim Paulistano

 

 

Pineapple – BLACK MOOSHINE

Um dos bares preferidos dos bartenders da cidade, o Pinneaple também deve virar a carta no início do ano. Lá, minha dica é conversar com o Michel Felicio e ver se rola um Black Mooshine (acho que vai entrar na carta nova). Vale muito a pena! O coquetel leva Jack Daniel’s, amaro, bitter de cacau, bitter de cumaru e bitter de laranja.
Onde: R. dos Pinheiros, 1308, Pinheiros
View this post on Instagram

Lembrando que AMANHÃ É SEXTA! @tahlao

A post shared by Pineapple Bar (@pineapplebarsp) on

 

 

Apothek Cocktails & Co. – MARTINIS

Outro bar querido dos bartenders é o Apothek do Ale D’Agostini. A carta sempre tem criações incríveis, mas se eu fosse você começava a noite tomando uma das versões de martini da casa. Também vale muito a pena pedir um clássico como o daiquiri – fazia tempo que eu não tomava um tão equilibrado.

Onde: R. Oscar Freire, 2221, Pinheiros

View this post on Instagram

Nas noites de terça, Ale irá abordar a história e a evolução do martini até chegar ao clássico Dry Martini e variações. Discutindo as polêmicas envolvendo suas receitas, será uma aula para conhecer os truques e segredos de preparo do Martini ideal. Os participantes serão convidados a fazer os drinks, degustar as diferentes receitas, destilados e ingredientes utilizados. Para complementar a experiência, o nosso Chef de cozinha Gui Gerard, irá preparar uma série de aperitivos criados em harmonização para este masterclass. Cada participante terá direito em média a 4 coquetéis, levará para casa um Apothek Bottle de Negroni Clássico e um certificado assinado pelo próprio Ale. Algumas receitas: – Martinez – Manhattan – Dry Martini – Vesper – Vesper Invertido – Sparkling Link in Bio @ale_dagostino 🥃 #ApothekCocktails #ApothekBar #aledagostino #ApothekMasterclass #mixology #martini #drymartini #MartiniMadness #MartiniNights

A post shared by Apothek Cocktails & Co. (@apothekcocktails) on

 

Bar do Naga – HIGHBALLS

No Bar do Naga, eu escolheria um dos highballs da carta. São cinco opções – todas valem a pena.

Onde: R. Bandeira Paulista, 392, Itaim Bibi

 

Bar do Komah – CURVA

Recém-aberto, tomei pouca coisa por lá (ainda). Mas recomendo muito o Curva – que leva rum, porto dry, jerez manzanilla e bitter).

Onde: R. Cônego Vicente Miguel Marino, 378, Barra Funda

 

Boca de Ouro – MACUNAÍMA

O clássico nacional é obrigatório. Você não conhece o Boca de Ouro se você não tomar pelo menos um Macunaíma. Agora, se você já é um cliente “das antigas” eu sugiro experimentar um dry martini feito pelo bartender Rodrigo Roso.

 Onde: R. Cônego Eugênio Leite, 1121, Pinheiros

 

Bar dos Arcos – GÓMEZ

Faz tempo que não vou no Bar dos Arcos, mas a última vez que estive por lá gostei muito do Gómez – que leva vinho branco, tintura de lavanda, suco de pera e soca de vemute seco.

Onde: Praça Ramos De Azevedo, s/n, República (Teatro Municipal)

 

 

Zebra – CATATÔNICA

O bar da bartender e jornalista Néli Pereira é um jardim das maravilhas. Última vez que estive por lá tomei uma Catatônica, tônica feita com cascas de catuaba. Vale muito a pena. Semana passada vi que Néli tinha postado drinques de uma carta diferente. Fiquei bem curioso. Devo voltar assim que o Zebra retomar os trabalhos.

Onde: R. Maj. Diogo, 237 Loja, Bela Vista

 

Seen – O HOLANDÊS

O Seen fica no topo do hotel Tivoli Mofarrej e tem uma vista incrível da cidade. Mas foco na carta de coquetéis do barman Heitor Marin. A pedida aqui é O Holandês, coquetel a base de vodca, suco de cenoura grelhada com laranja, azeite e mel.

Onde: Alameda Santos, 1437, Jardim Paulista

 

Eugênia – CLARA

No Eugênia eu curto bastante a sutileza do Clara – drinque que leva gim Hendrick’s, limão-siciliano, purê de pepino, água de flor de laranjeira e xarope de camomila.

Onde: R. Cônego Eugênio Leite, 953, Pinheiros

 

 

 Cabiria – BARBARELLA

Foi o primeiro drinque que tomei na casa. Não tem erro, pode pedir o Barbarella. Ele leva Jack Daniel’s, licor de avelã, limoncello, bitter de cacau e angostura – coquetel defumado com pimenta da Jamaica.

Onde: R. Cônego Eugênio Leite, 1028, Pinheiros

 

Benzina – SWISS OLD

Apesar do clima de balada, a coquetelaria no Benzina é coisa muito séria. A nova carta do bartender Gabriel Santana está cheia de ótimos achados. Mas o drinque que fez mais minha cabeça foi o surpreendente Swiss Old (vodca com infusão de chocolate branco, fat washed no óleo de coco, bitter de chocolate e absinto).

Onde: R. Girassol, 396, Vila Madalena

 

Praia Bar – TOMEI OHTAKE

O bar promovo animados guests às segundas-feira. Da carta, eu recomendo bastante o Tomei Ohtake – que leva gim, licor de sabugueiro, BrasilBerg, Cynar 70 e Wallnut bitters. É tão bom quanto parece!

Onde: Av. Brg. Faria Lima, 272, Pinheiros

 

 

O Picco – AMOR E CARINHO

Que bela carta tem o Picco! Difícil escolher um drinque só. Fosse obrigado a decidir, iria de Amor e Carinho – que leva uísque irlandês, manjericão, amaro, Cynar 70 e bitter Angosyura. Se for pedir outro, eu iria de Trotamundos – com rum 3 anos, vermute seco, jerez fino e fernet branca.

Onde: R. Lisboa, 294, Pinheiros

 

Regô – LEMONADE

Outro bar com uma bela carta. Gosto muito do Lemonade – com vodca infusionada com folhas de limão kafir, luxardo bitter, vermute seco, Chartreuse verde e orange bitter.

Onde: R. Rêgo Freitas, 441, República

 

Fel – DE LA LOUSIANE

A casa dos clássicos esquecidos tem ótimas opções, mas eu cresço o olho é no De la lousiane. Normalmente leva rye ou bourbon, vermute tinto, Bénédictine, Peychaud’s bitters e absinto.

Onde: Copan. Av. Ipiranga, 200 – Térreo, 69, Centro.

View this post on Instagram

um clássico: de la lousiane. new orleans, 1937.

A post shared by fel (@fel.sp) on

 

Mundi Bar – GIM POMELO

O Mundi propõe uma viagem ao redor do mundo muito interessante e consistente. Se eu fosse carimbar meu passaporte por lá, pediria o refrescante, super equilibrado e filipino Gim Pomelo
Onde: R. Itapicuru, 828, Perdizes
https://www.instagram.com/p/B1haG4gnqet/

Lupe bar y taqueria – RIO GRANDE

A coquetelaria brilha nessa taqueria de Pinheiros. Peça o Rio Grande e sinta-se no México. Ele leva bourbon infusionado com jalapeño defumada, mix de vermutes, Carpano Bianco e Angostura.

Onde: R. Cunha Gago, 625, Pinheiros

 

Paramount e Majestic – GIM TÔNICA

Nas casas do mestre Netinho, o destaque são as gim tônicas por um preço justíssimo.

Onde: R. dos Pinheiros, 1179, Pinheiros e R. Delfina, 130, Vila Madalena

 

Cateto – Mr. PICKLES

Ótima carta do Diogo Sevillo para a casa. Muitas opções bacanas, mas eu começaria pelo Mr. Pickles – que leva um picles em conversa, salmoura e uma cachaça produzida especialmente para o Cateto. Trata-se de uma revisão do clássico pickleback – que nada mais é do que a combinação de um shot de uísque com outro de salmoura de picles.

Onde: R. Francisco Leitão, 272, Pinheiros

View this post on Instagram

Ancestralidade e repertório, estes são os pilares que guiaram @diogobartender ao ser convidado para assinar a nova carta do OAK, nosso bar de coquetéis dentro do Cateto que além da figura do novo mixologista também ganha novo head bartender Igor @igorvergueirobar , então tudo novo por aqui. . A nova carta principalmente posiciona o OAK de uma forma mais madura, limpa, com uso de insumos simples, coquetéis clássicos revisitados, uma conexão maior com a gastronomia e sobretudo valorizando os perfis sensoriais. . Convidamos para o lançamento nesta quinta feira 24/10 a partir das 19h. Faremos uma recepção especial com bocados de mar e terra servidos diretamente no balcão com ostra e vieiras, que passa a ser um dos novos atrativo do espaço. . Venham. 🍸

A post shared by Cateto Artesanal Pinheiros (@catetopinheiros) on

 

 

Jiquitaia – SUBURBANO

O restaurante é excelente. Mas quando estiver por lá suba no bar. Minha sugestão é o coquetel Suburbano, criação do bartender David Moraes – ele leva cachaça, xarope de mel, suco de limão, Cynar 70 e ginger ale feito no próprio Jiquitaia.

Onde: R. Antônio Carlos, 268, Consolação

 

 

Bar do Cofre – CÁSCARA HIGHBALL

Da última vez que estive por lá, experimentei o Cáscara Highball – que  leva tequila blanco, infusão de casca de cacau e Peychaud’s bitter.

Onde: R. João Brícola, 24, Centro Histórico

 

Cava – NEGRONI

O Cava promove quartas em dobro. Ou seja, um ótimo dia para uma visita. Eu focaria nos clássicos. O negroni é super bem feito.

Onde: R. Guarará, 565, Jardim Paulista

 

 

Nit Bar de Tapas – BARCINA

Uma releitura de dry martini feita com jerez. Imperdível para os amantes de martini. O coquetel leva: jerez, gim, Lillet, licor de elderflower e folha de louro.

Onde: R. Oscar Freire, 153, Jardim Paulista

 

Muitos outros

Em 2020, quero muito visitar os bares que ainda não estão nessa lista. O Grog Bar, por exemplo, acabou de abrir, mas não tive tempo de encostar em seu balcão. Também estou de olho no Caledônia que deve abrir oficialmente no início de janeiro (PS: visitei nessa quinta e logo mais tem matéria no Paladar).

Em janeiro também deve rolar a abertura oficial ao público do bar Infini Ainda não visitei o Riviera  e o Negroni depois da mudança da carta – mas devo fazer isso em breve. Também estou devendo visitas menos apressadas ao  Estepe, Térreo, Beco e ao Espaço 13 (que só não entraram na lista porque só visitei uma vez). Em 2020 também quero conhecer o QT,  Fortunato, Lateral, Banqueta,  Ferra,  Mule, Mule, Tulum, Cauli e muitos outros.

 

Notícias do mundo da coquetelaria 

Shot 1. Até o próximo dia 30, o SubAstor (R. João Brícola, 24, Centro Histórico) e o Bar do Cofre (R. Delfina, 163, Vila Madalena) irão incluir drinques natalinos em suas cartas. Os drinques foram criados pelos bartenders das casas: Alex Sepulchro, Ítalo de Paula e Ricardo Takashi do SubAstor e João Philipe do Bar do Cofre SubAstor. Os drinques são:

#TimeChocotone – rum zacapa 23 com passas, cachaça Ypióca 150 com chocotone, orgeat, tereré e grapefruit.
#TimePanetone – vodka ketel one com panetone, shurb de ameixa e romã, orgeat e limão siciliano.
Jingle Bell Rock – vodka ketel one, ratafia de brownie e bitter de cerveja.
Toca o Sino! – gim, cupuaçu, água de pão e xarope de coco.

Cada um vai sair por R$ 33.

 

Shot 2. Para as comemorações de fim de ano, os bares Caulí (R. Joaquim Antunes, 248, Pinheiros) e Mule Mule Muleria (R. Aspicuelta, 459, Pinheiros) apresentam drinques temáticos dedicados ao natal e o réveillon. As receitas estão disponíveis nas casas durante o mês de dezembro. Destaque para o Santa Eggnog, criado pelo bartender Sylas Rocha. Ele é preparado com bourbon, noz-moscada e finalizado com espuma de amêndoas e será servido no Caulí até 21 de dezembro. Já no Mule Mule Muleria, você encontra o Mule Olívio. Ele é feito com vodca, limão, cerveja e espuma de gengibre.

Shot 3. Já tem evento marcado para o início de janeiro. No próximo dia 12, vai rolar o Brega Brega Xique-Xique, com grandes nomes da coquetelaria paulistana (mas de raízes nordestinas). A festa vai rolar no Bar do Pernambucano (ou do Bode), que fica na Rua dos Pinheiros, 1255. Mais informações em breve.

 

Shot 4. As inscrições para o curso de mixologia clássica, ministrado por Marco De La Roche, já está com as inscrições abertas. Os interessados devem escrever para contato@drinklab.com.br. Vagas limitadas.

Shot 5. Um pack especial de Jack Honey chega ao mercado brasileiro. Além da garrafa de Jack Honey de um litro, ele traz uma  caneca de Jack Honey & Lemonade exclusiva, pelo valor sugerido de R$ 149,90.  

Tags:

Ficou com água na boca?