Guia Michelin 2020: confira restaurantes estrelados em SP e no RJ

Sexta edição nacional do prestigiado guia francês reúne 14 casas estreladas; há duas estreias no time de duas estrelas

Danielle Nagase e Renata Mesquita - O Estado de S.Paulo

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você leu 4 de 5 matérias gratuitas do mês

ou Assinar por R$ 0,99

Essa é sua última matéria grátis do mês

ou Assinar por R$ 0,99

O Brasil agora tem 14 restaurantes estrelados, nove em São Paulo e cinco no Rio de Janeiro. O Guia Michelin 2020, divulgado nesta segunda-feira (25) em uma cerimônia virtual transmitida do Copacabana Palace, conta agora com dois estreantes no time de casas com duas estrelas: o paulistano Ryo e o carioca Oteque - ambos tinham uma estrela na edição do guia de 2019. A lista de restaurantes com uma estrela, sem novos representantes, perdeu três casas.

O time dos duas-estrelas é agora formado pelo D.O.M. (do chef Alex Atala) e pelo Ryo (do chef Edson Yamashita) em São Paulo, e pelo Oro (do chef Felipe Bronze) e pelo Oteque (do chef Alberto Landgraf) no Rio de Janeiro.

Ryo, do chef Edson Yamashita, conquista sua segunda estrela em 2020  Foto: Daniel Teixeira/Estadão

 

O Tuju, do chef Ivan Ralston, que detinha duas estrelas desde 2018, fechou as portas no início da pandemia e, por essa razão, saiu da lista. O espaço deu lugar ao Tujuína, restaurante de proposta mais casual e familiar. Ralston garante que o Tuju volta, mas só em 2022, em um local menor e mais intimista "que faça mais sentido para o que o restaurante havia se transformado". 

Pelo mesmo motivo, outra saída de peso da lista foi o Olympe, do chef Thomas Troigros. Dono de uma estrela desde 2018, o restaurante carioca também fechou as portas durante a pandemia e não deve reabrir, segundo informou sua assessoria de imprensa. Kosushi e Tangará Jean-Georges também perderam suas estrelas.

O chef. Landgraf na cozinha do seu novo Oteque no Botafogo Foto: João Grinspum Ferraz

 

O Brasil segue sem nenhum restaurante três estrelas, a cotação máxima dada pelo prestigiado guia francês. Confira a lista completa abaixo.

 

DUAS ESTRELAS 

São Paulo 

● D.O.M. (Alex Atala) 

● Ryo (Edson Yamashita) 

 

Rio de Janeiro

● Oro (Felipe Bronze)

● Oteque (Alberto Landgraf) 

UMA ESTRELA 

São Paulo

● Evvai (Luiz Filipe Souza) 

● Huto (Fábio Honda)

● Jun Sakamoto (Jun Sakamoto) 

● Kan Suke (Egashira Keisuke)   

● Kinoshita (Tadashi Shiraishi)  

● Maní (Helena Rizzo)   

● Picchi (Pier Paolo Picchi)  

Rio de Janeiro         

● Cipriani (Aniello Cassese) 

● Lasai (Rafael Costa e Silva)  

● Mee (Kazuo Harada)

 

Bib Gourmand 

Antecipando a cerimônia, foi divulgada, no início da tarde desta sexta-feira (25), a seleção de restaurantes que integram a lista Bib Gourmand do Guia Michelin 2020, categoria que indica casas mais informais, mas de cozinha habilidosa, que apresentam excelente custo-benefício. 

Corquetas do Nit, bar de tapas do chef Oscar Bosch, estreia no Bibi Gourmand   Foto: Tiago Queiroz/Estadão

Dez restaurantes entraram na lista. Em São Paulo: AE! Cozinha, Ama.zo, Banzeiro, Cepa, Charco, Kith 2º Andar (que fechou as portas na pandemia), Nit Bar de Tapas, casa mais informal do chef catalão Oscar Bosch, e Più Iguatemi. Do Rio de Janeiro, entram Didier e Maria e o Boi. Confira aqui a lista completa dos 39 restaurantes Bib Gourmand 2020.

 

Cerimônia virtual

Devido à pandemia do novo coronavírus, a festa de premiação ocorreu sem público e foi transmitida ao vivo pelo canal do Guia Michelin no YouTube - a apresentadora Didi Wagner foi a mestre de cerimônias. 

A transmissão, que demorou pouco menos de uma hora, teve participação do presidente mundial do Guia, Gwendal Poullennec, diretamente de Paris, que aproveitou o espaço para lembrar a morte do chef Pierre Troisgros, respectivamente pai e avô dos chefs Claude e Thomas Troigros, nesta quinta-feira (24). 

A conexão internacional também contou com vídeos de chefs renomados ao redor do mundo, que mandaram mensagem de força na retomada do setor; entre eles os espanhóis Joan, Jordi e Joseph Roca, do premiado El Celler de Can Roca, Elena Arzak e seu pai Juan Mari, que comandam o três estrelas Arzak, e Mauro Colagreco, do francês Mirazur, atual melhor restaurante do mundo pelo ranking 50 Best

A live teve a participação de alguns chefs cariocas, que cozinharam ao vivo do próprio hotel, preparando pratos para a apresentadora. Entre eles, Kátia Barbosa, do Aconchego Carioca, Elias Shramm, a frente do Pici Trattoria, Brasserie Mimolette e o grego Oia, e Aniello Cassese, chef do Cipriani, que conquistou sua primeira estrela em 2019.   

Pela primeira vez, nas seis edições publicadas no País, o prestigiado guia não terá edição impressa, mas pode ser acessado na íntegra de forma gratuita no aplicativo do Guia Michelin 2020.  

 

  

 

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato